Flutuando pela Europa afora

Atravessar a Europa à velocidade do som não é uma ideia inovadora. No entanto, a empresa neerlandesa Hardt agora está colocando essa ideia em prática com as nossas suspensões pneumáticas.

Hyperloop

Acordar de manhã em Estocolmo e dormir à noite em Madri, a cerca de 3.000 quilômetros de distância já não é uma raridade na era da globalização. Algumas profissões simplesmente exigem mudanças de local repentinas. E mesmo as entregas de encomendas durante a noite agora são um dado adquirido e não uma questão de bom serviço. Por este motivo, os meios de transporte de longo curso, tanto de pessoas como de mercadorias, devem ser escolhidos cuidadosamente. Já em 2013, Elon Musk tornou popular a visão do Hyperloop, um trem de levitação magnética que transporta pessoas e mercadorias através de tubos a uma velocidade de 1.200 km/h. Um sistema de transporte que é tão sustentável quanto eficiente. E é precisamente esta visão que está agora ao nosso alcance.

Testar de ponta a ponta

Inauguração da pista de testes em Delft, nos Países Baixos.

A mensagem de sucesso vem do nosso parceiro neerlandês Hardt: a primeira pista de testes funcional do Hyperloop na Europa está concluída. Com 30 metros de comprimento, ela está instalada em Delft, a cidade natal da Hardt. Em breve, as cápsulas poderão percorrer os tubos a título experimental, e, graças à tecnologia de mudança de faixa recentemente desenvolvida, até mesmo mudar de direção sem perder velocidade. Embora por enquanto se trate apenas de uma pista de testes, se o Hyperloop entretanto ficar disponível como método de transporte público, a viagem entre Estocolmo e Madri levaria menos de três horas. Em comparação, um avião precisa de cerca de quatro horas com um consumo de energia claramente mais elevado.

Air spring

Para que a Hardt possa desenvolver este tipo de mobilidade do futuro, também damos o nosso contributo. "Para suportar o chassi pesado das cápsulas em segurança, elas estão equipadas com dez das nossas suspensões pneumáticas", afirma Manuel Mosich, especialista em suspensões pneumáticas industriais. Christopher Zander, seu colega e responsável pela inovação, complementa: "O projeto é muito emocionante, em particular, no que diz respeito à sustentabilidade deste tipo de transporte. Por este motivo, apoiamos a Hardt desde o início."

A Europa se transforma em uma pequena cidade

É muito mais gratificante, agora que o trabalho dos últimos dois anos da Hardt na pista de testes alcançaram um marco importante. E a empresa já está traçando planos empolgantes para o futuro: nos próximos dois anos, deverá ser criado um Centro Europeu do Hyperloop que acolherá projetos de pesquisa e desenvolvimento, uma exposição, um centro de atividades e uma pista de testes com três quilômetros de comprimento. Aqui, deverão ser reunidas todas as atividades relativas ao Hyperloop a nível europeu, por exemplo, as empresas parceiras terão a oportunidade de testar os seus veículos de alta velocidade no local. O objetivo é padronizar a infraestrutura europeia do Hyperloop.

Christoph Zander

Christoph Zander é a força motriz por trás das nossas inovações em termos de suspensões pneumáticas e tem supervisionado a cooperação com a Hardt:

„Estamos felizes com este marco no sentido das viagens expresso e nos orgulhamos do fato de os nossos produtos fazerem parte de uma aplicação tão inovadora como esta.“


Caso isso se transforme em uma rede de transportes funcional que ligue cidades e pessoas na Europa em itinerários sem escala, as distâncias deixarão de desempenhar um papel tão importante. As viagens se tornarão mais ecológicas e econômicas. Com os tempos de viagem mais curtos, o continente se transformará em uma pequena cidade. Atualmente, a Hardt está estudando localizações adequadas para o centro planejado. E, quem sabe, um dia tudo isto poderá permitir que você passe as manhãs em Estocolmo e as noites em Madri.

The First European Hyperloop